Segurança Digital: medo de ser hackeado? Por que a segurança digital é tão importante e como se proteger de cybercriminosos

Segurança Digital: medo de ser hackeado? Por que a segurança digital é tão importante e como se proteger de cybercriminosos

Tempo de leitura: 6 minutos

O crescimento dos crimes virtuais durante a pandemia – ao longo de 2020 houve alta de 500% desse tipo de ocorrência – vem deixando os usuários de internet cada vez mais preocupados com a segurança digital.

E não é para menos. Os golpes e invasões hackers são capazes de causar grandes prejuízos, especialmente após a implantação do PIX. A modalidade de transferência bancária facilitou para que os criminosos limpem a conta das vítimas com rapidez. A invasão da conta bancária, contudo, não é a única forma de ação dos hackers.

No início de 2021 foi notícia uma série de casos de invasão a contas do Instagram, onde os hackers se passavam pelos proprietários das contas invadidas para anunciar produtos que nunca existiram a preços baixos, se aproveitando da credibilidade das vítimas junto aos seus seguidores para realizar vendas.

Além disso, o sequestro de dispositivos, a captura e venda de dados pessoais, entre outros, também são riscos reais aos quais todos nós que estamos conectados ao mundo digital estamos expostos. O medo de sofrer uma invasão hacker é, portanto, justificado, sendo imprescindível saber se proteger dos cybercriminosos.

9 dicas para se proteger da invasão de hackers e aumentar sua segurança digital

Embora seja quase impossível zerar os riscos de ser uma vítima de ataques hackers – os criminosos estão sempre ampliando seu repertório e capacidade de atuação – com algumas medidas é possível reduzi-lo de forma significativa.

Vem com a gente conferir as nove dicas que a STWBrasil separou para você se proteger da invasão de hackers e aumentar a sua segurança.

1-Cuidado com as senhas

De tempos em tempos é possível encontrar listas com as senhas mais utilizadas na internet. 

O que sempre surpreende é que as primeiras opções são sempre senhas simples e fracas, como sequências numéricas – 123456, por exemplo.

Se você faz parte desse grupo, a primeira coisa que você precisa fazer é mudar suas senhas, apostando em senhas fortes. Uma senha forte não é óbvia tampouco ligada a algum aspecto específico de sua vida e deve conter letras (maiúscula e minúscula), números e caracteres especiais. Além disso, é fundamental não repetir a senha para diferentes locais de login.

Para não correr riscos de esquecer e perder o acesso, você pode utilizar um gerenciador de senhas, um verdadeiro cofre digital para as suas senhas.

2- Tenha um antivírus funcional e atualizado

Quem deseja se proteger de uma invasão hacker precisa contar com softwares antivírus em todos os seus dispositivos. O programa monitora o uso de seu smartphone, notebook ou computador, alertando sobre links e arquivos maliciosos, oferecendo uma barreira extra de proteção contra os criminosos digitais.

Vale reforçar que manter o antivírus atualizado é fundamental. Apenas dessa forma você estará protegido do vasto e crescente ecossistema de vírus e programas maliciosos que pululam no submundo digital.

3- Cuidado com as extensões de navegadores

Se você é daqueles que adoram instalar extensões em seus navegadores para aprimorar a sua experiência digital, cuidado. Algumas extensões podem abrir as portas do seu dispositivo para invasões, sendo recomendado que instale somente extensões de lojas oficiais, ou de marcas e empresas conhecidas.

4- Atenção com o que compartilha na internet

Quanto maior o número de informações pessoais que você compartilha na internet, mais você abastece os hackers e criminosos com dados que facilitam a realização de crimes. É importante lembrar que mais do que tecnologia avançada grande parte dos ataques virtuais utilizam a engenharia social para enganar as vítimas.

Evite exposições desnecessárias e caso não trabalhe com as redes sociais, considere manter seu perfil trancado e acessível apenas às pessoas conhecidas.

5- Ative a autenticação de dois fatores

A autenticação de dois fatores oferece uma camada a mais de proteção em seus logins, sendo altamente recomendado que o usuário ative a mesma sempre que possível. A dica aqui é não permitir que essa autenticação esteja ligada a um número de telefone ou e-mail. 

Afinal, caso os hackers clonem o número ou consigam invadir o e-mail, de pouco adianta sua ativação.

Utilize aplicativos de autenticação. Existe uma série de opções em lojas de app, gratuitas e pagas.

Prefira sempre utilizar aplicativos de autenticação de desenvolvedoras confiáveis e reconhecidas.

6- Tenha mais de um e-mail

Evite concentrar todas as informações da sua vida digital em um só e-mail. O ideal é ter mais de um endereço eletrônico, utilizando-os para atividades distintas. Você pode, por exemplo, ter um e-mail para logins em sites e outro que utiliza para compras on-line e comunicação bancária.

7- Não utilize redes públicas

Quem não gosta de ter acesso à internet onde quer que esteja? Como em um bar ou restaurante, por exemplo. O problema é que as redes de wi-fi públicas não são nada seguras. 

Você não sabe quem também está conectado a rede e quais suas intenções, podendo abrir a porta do seu dispositivo para hackers.

Atenção: o risco aumenta ainda mais em casos de rede que não solicitam senha para a conexão ou do tipo que são oferecidas em shoppings e outros lugares de alta circulação.

8- Mantenha seus sistemas e programas atualizados

A atualização de sistemas e programas muitas vezes é lançada visando corrigir problemas, falhas e fragilidades encontradas. Quando você não atualiza seus dispositivos fica mais vulnerável e exposto à ação dos criminosos virtuais.

Por isso, nada de achar que a atualização vai travar seu dispositivo ou impedir o uso. Ela não é um problema, mas uma aliada da sua segurança digital.

9- Restrinja a coleta de dados

Desde a implementação da LGPD, o tratamento de dados pessoais ganhou maior transparência no Brasil, com as empresas sendo obrigadas a informar o que estão coletando e para qual uso.

O problema é que muitos usuários autorizam a coleta de dados sem ler ou saber com o que estão concordando. O resultado é um mundo de informações pessoais nas mãos de organizações.

Fique atento às permissões de rastreamento e uso de dados. Caso não concorde com os termos, não autorize. Seus dados são sua propriedade.

Lembre-se: a maior barreira de proteção contra ataques hackers é você. Utilize dispositivos, aplicativos, softwares e ferramentas digitais com cuidado, se pautando pelas boas práticas da segurança digital e evitando uma exposição ainda maior aos riscos.

Continue acompanhando o blog e siga a STWBrasil nas redes sociais para ter acesso a mais conteúdos exclusivos sobre a segurança digital e da informação e envie esse post para amigos e familiares também aprenderem a se proteger.

Até a próxima!

Facebook Comments
Facebook Comments